Archive for fevereiro \26\UTC 2009

MUDANÇA DE COMPORTAMENTO

fevereiro 26, 2009

Os belorizontinos têm mudado os hábitos. Nas festividades carnavelesca, não têm mais aqueles trio elétricos que tocam música da Bahia e nem o samba, que chora um Rio de Janeiro. Nos supermercados, a fila não era para comprar cerveja nem carne bovina para o churrasco.

praca-da-liberdade1

Praça da Liberdade – BH

Passei o carnaval em Belo Horizonte e notei uma mudança nas festividades que antecedem a quarta-feira de cinzas. Nas tardes festivas, a Praça da Liberdade – uma das mais bonitas do país, senão a mais – tinha um palco muito legal, com um som bem dosado no evento chamado de “Carnaviola”. Uma mistura de música mineira com as brincadeiras alegres do carnaval.

Quatro violeiros, um baterista, um guitarrista, um baixista e um naipe de metais tocavam músicas mineiras com andamento carnavalesco. Nem tudo são rosas, muitas escorregadas “nos quiabos” aconteceram, mas foi diferente misturar marchinha com Clube da Esquina.

Muitas crianças e pais de família curtiam o som com seus… …cachorros. E quantos cachorros! De todas as raças cores, tamanhos e paciências. Os cães estão sendo mais bem tratados e para não ficar deslocado levei a Dorothy.

No Supermercado

Para comprar mantimentos e escova de dentes fui ao Extra do Santa Efigênia e lá notei que o caixa rápido é o mais lento. Mas a grande desordem não estava envolta das caixas de cerveja e nem no açougue e sim na peixaria. Talvez pelos peixes exóticos. Eram crianças com um polvo na mão, uma enguia na outra e várias pessoas com o salmão e outros peixes no saco plástico. Parece que o peixe virou “arroz de festa” igual a picanha.

O negativo da aventura de comprar uma tábua de passar roupas, batatas entre outras coisas foi quando uma senhora e um senhor, com aproximadamente cinqüenta e poucos anos, tentavam furar a fila de qualquer jeito para chegar ao caixa. Talvez eu tenha cara de bobo, pois a senhora conseguiu, mas o senhor não.

Anúncios

DISCÓRDIA

fevereiro 24, 2009

robert_smith

É, Robert Smith disse que o Radiohead teve um idéia idiota, por deixar o público botar preço no disco In Rainbows. “Você não pode dar às pessoas o direito de decidir quanto vale o que você faz. A não ser que você pense que seu trabalho não valha nada, mas isso seria sem sentido”, discorda “violentamente”  Bob.

Smith ainda dá tiros certeiros nas gravadoras. “Há relutância dos selos em fazer algo, como se não reparassem o quanto os artistas sofrem. O artista não vende e o selo, por isso, acha que não tem que pagá-lo. Agora, os selos sempre estão ligados, de uma forma ou de outra, a alguma empresa proprietária de provedor de Internet. Isso chega a ser melancólico”.

Certeiros  – mesmo que o download seja “0800”, todo mês vem uma conta de provedor para pagar, sem falar na energia elétrica. Ou seja, nada é “degrátis”.

FIGARO

fevereiro 19, 2009

opera2

ÓPERA SINTÉTICA

fevereiro 19, 2009

Nunca assisti a uma ópera. Deve ser emocionante. Pretendo ir a essa superprodução, a essa arte secular, algum dia. Sentir a acústica de um teatro, o grave e o agudo das vozes dos atores.
Em parte, essa vontade pode-se ‘realizar’, pois o cinema está dando um jeito ao acesso de arte tão refinada. Isso se nas salas do interior acatar-se a ideia, o que acho difícil.
As récitas do Metropolitan de Nova Iorque estão sento exibidas em 30 países. Domingo o público de São Paulo pôde assistir nos cines a uma ópera.
Uma apresentação ao vivo seria mais emocionante. Empolgante. Tudo está caminhando para o distanciamento da arte real e ficando virtual. Haja vista a quantidade de DJ que estão por aí distribuindo a música sintética.
Já dizia o ‘velho’ Morrisey: hang the DJ, Hang the DJ…

Warlen L.

O JULGAMENTO DO PIRATE BAY

fevereiro 18, 2009

É um daqueles momentos que muda tudo: o julgamento dos quatro suecos responsáveis pelo The Pirate Bay. É  o mais famoso site de indexação de torrents, arquivos digitais, geralmente ilegais, e uma lenda da luta anti-copyright. O dinheiro que fatura mal paga os servidores.

Eles NÃO estão sendo processados por pirataria, e só por “assistir e se preparar” para isso. Quem cometeu pirataria – copiou ilegalmente uma obra protegida por direitos autorais – são os 22 milhões de usuários do Pirate Bay. Impossível enforcar tanta gente.

A indústria do entretenimento digital – cinema, música, games – quer a caveira dos quatro, para servir de exemplo. Pelo cheiro, não vai conseguir. E se eles, conhecidos corsários, escapam ilesos, quem há de ser condenado?

Ironia: o julgamento dos quatro virou um circo de mídia, com direito a disputa a tapa por lugares no tribunal. Tem cobertura em tudo que é canto da internet. Li o texto abaixo na Wired, cercado por anúncios colocados lá automaticamente pelo Google – inclusive um do PagSeguro. É a Condé Nast, bastião chiquê da old media, faturando com o julgamento dos piratas. Eta mundo novo sem porteira.

Ih, postei o texto da Wired. Sou pirata também? Se eu colocar só uns trechos, e entremear com o meu artigo, pode? Ou só linkar é totalmente seguro? Alguém sabe a regra? Alguém se importa?

Vamos ver o que dizem os tribunais.

André Forastieri, quer dizer… B.  , hummm piratas……

MELHOR NOVELA

fevereiro 18, 2009

Indico a todos os capítulos.

Gabriel me falou, lá no Pitágoras, sobre o Bruno. Não botei muita fé, até ele me mandar pelo msn. Uma das melhores novelas feitas pelo homem!

B.

AFORISMO INDUSTRIAL

fevereiro 14, 2009

Vapores nebulosos fazem o suor escorrer sobre a face ardente e sob as vestes quentes do operário da indústria. Mãos habilidosas dobram futuros lixos que ficarão à beira de rios que não enfeitarão a cidade. Todas as mentes se articulam no pensamento diário do compromisso mensal e honesto familiar. E o memorial acúmulo mental se dissolve em pílulas dosadas por miligramas conforme a vida.

Warlen

Usina de Volta Redonda.

BACTÉRIAS DA VIDA

fevereiro 13, 2009

bacteriaAs descobertas no campo da ciência são surpreendentes. No caderno Equilíbrio da Folha de São Paulo, deparei-me com uma reportagem do New York, em que se discorre sobre importância das bactérias para o sistema imunológico do corpo.

Toda a higiene de proteção a bactérias não funciona bem para o corpo. Pois esses micro-organismos estimulam o sistema de proteção na “fabricação” de anticorpos. Ou seja, o melhor é deixar as crianças brincarem à vontade. Descobrirem o mundo com tato e paladar. Lógico que não se deve deixar de estimular a higiene básica.

Pesquisas apontam que há maior índice de doenças como alergia, asmas, diabetes 1, por causa da falta de convivência com certas bactéria que teriam uma ação benéfica. O ser humano tem cerca de 90 trilhões de bactérias. Dá pra imaginar?

Já sabia que bactéria em certo meio é cultura, para a produção do iogurte, por exemplo.Pelo menos ficamos mais aliviados, porém o Branquinho tem de continuar escovando os dentes, lembra o Capitão Guapo.
bac

Warlen L

Glasvegas

fevereiro 13, 2009

A primeira música que ouvi dos Glasvegas foi Come As You Are, original do Nirvana. Gostei da versão, pois me surpreenderam, não tocaram o riff e conseguiram uma sonoridade muito interessante de guitarras intensas. Baixei essa versão no Popload – Lúcio Ribeiro. Vale a pena buscá-la na internet. É uma ótima releitura.

Glasvegas me fez lembrar de uma banda: Carolina Diz – só que aqui há um excelente baterista, enquanto Caroline Mckay é básica. James Allan vocalista tem o timbre, parece, de Joe Strummer. O baixo de Paul Donoghue é forte e grave. Ver os clips do grupo é entrar em um submundo existencialista, melancólico, etéreo, reflexivo, tempestuoso.

Na página Myspace da banda, encontram-se vários vídeos. Seria um bom disco para se ouvir num dia chuvoso.

glasvegas

Veja vídeo…

SOUL UNDERGROUND AO VIVO

fevereiro 12, 2009

Show no dia 10 de janeiro!!! Anarkaos em ação!!!!